• Bem vindo ao nosso novo site. Conheça nossa loja virtual, acesse Shop

Mangroovee

Escute a prévia e baixe o novo disco do trio Metá Metá, MM3

Gravado em apenas três dias, o novo disco do power trio Metá Metá foi concebido nos estúdios da Red Bull, em São Paulo, e está disponível para download gratuito no site do grupo. Assim como nos outros quatros trabalhos da discografia do projeto, Juçara Marçal, Thiago França e Kiko Dinucci continuam propondo diferentes experimentações sonoras nas nove faixas presentes no repertório do álbum.

O registro chegou até as plataformas digitais na maciota, de forma silenciosa, deixando todo o barulho na conta das músicas, que ainda trazem Marcelo Cabral e Sergio Machado no baixo e na bateria, respectivamente. Se você quiser um tira gosto antes de baixar a trilha, escute as canções Mano Légua e Corpo Vão nos players. O link para abençoar sua HD com o .zip fica ao final do post. Aproveita!

mm3


Metá Metá

De La Soul e Snoop Dogg juntos no single Pain. Já escutou?

Encostamos aqui no Mangroovee no final do mês de abril para anunciar que o trio De La Soul tinha colocado nas ruas, sem avisar ninguém, o EP For Your Pain & Suffering. E, agora, o lendário grupo trabalhou mais uma vez sem alarde e sacou da manga outro trabalho que antecede o próximo disco dos manos, And The Anonymous Nobody. O single Pain traz Snoop Dogg dividindo o microfone e climatizando o ambiente no melhor estilo funk. Já que o álbum vai sair no dia 26 de agosto, você só precisa chegar no player abaixo e aguardar ansiosamente a data em questão.

O combo 30/70 mergulha nas ondas do jazz, soul e rap no disco Cold Radish Coma.

Oriundo da cabulosa metrópole de Melbourne, o coletivo 30/70 faz um som que representa muito bem os ares daquele município australiano. Com pessoas de todos os cantos do planeta, a cidade respira cultura e você pode conferir em boa parte das esquinas do centro apresentações de blues, folk, funk, rap, breaking, entre outros gêneros. Talvez seja por isso que a audição do disco Cold Radish Coma, despachado pelo selo Moontown Records no último mês de dezembro, carrega toda essa atmosfera cosmopolita e flutua tranquilamente na brisa da soul music, jazz e rap.

Formado por 15 faixas, o repertório do álbum traz três interlúdios e outras 12 tracks embaladas pelas baquetas do baterista Ziggy Ruckman e pela bela voz da cantora Allysha Joy. Local Knowledge, The Strut, Cold Rashad, For You, Das Dank e Cash Harp foram as produções preferidas até agora aqui no expediente do mangue. Se quiser conhecer melhor a sonoridade de mais uma excelente banda da terra dos cangurus, encoste no player abaixo e dichave o release na íntegra.

a3923077484_10

30/70

Escute a aula de rap nacional ministrada pelo DJ Nuts na mixtape Máquina de Dança

Referência absoluta aqui no mangue em matéria de toca-discos, o DJ Nuts climatiza nossas sessões desde o início da caminhada do Mangroovee com mixtapes como Cultura Cópia, Embalo Jovem, Verocai Mix, e a série Disco Cultura. E depois de algum tempo sem colocar novas tapes na rede, o deejay paulistano ministra uma aula de música e embala a trilha Máquina de Dança somente com faixas do rap brasileiro lançadas até o ano de 1993. Em tempos de Shazam e diggers de mp3, Nuts passa a visão: “Três horas de Rap Nacional, só os antigos. Compartilhe. Uma escolinha pra essa galerinha do Rap universitário”. Ainda náo chegou no play?

DJ Nuts

Escute e baixe o disco IndiviDUAL, da dupla Benfa & Drop

Já é muito louco abastecer nossa matriz com bons lançamentos nacionais, mas é ainda mais satisfatório quando o trabalho vem assinado pelos amigos. E é exatamente isso que acontece com o disco IndiviDUAL, dos camaradas Benfa & Drop, de São José do Rio Preto. Remanescentes do coletivo Reticência, os dois linhas de frente do selo Três Pontos Records ficaram mocados uma cota e acabaram de dropar o primeiro álbum da nova fase deles.

Com instrumentais produzidos pelo próprio Benfa, além de Goribeatzz, Coleti e Ericbeatz, o trampo traz a dupla rimando com bastante propriedade nas dez faixas e colocando a cara a tapa com aquilo que eles sabem fazer de melhor: música. A evolução sonora é notória, mas também é foda perceber como os manos se estruturaram e mexeram bonito o doce até tirar a trilha do forno. Colocaram na rua o clipe do single O Mundo É Nosso, dirigido por Bruno Amorim, chamaram o sangue bom e talentoso Raphael Gaudio para bolar a cabulosa arte da capa, e ainda fizeram lyric vídeo de todas as músicas do registro.

Tudo isso feito naquele famoso esquema faça você mesmo. Então nos dê um voto de confiança e chega mais para conhecer o corre dos nossos conterrâneos. Se vossa senhoria gostar, passe pra frente aí na sua cidade, baixe o disco, assine o canal do YouTube da Três Pontos e fique ligado(a) nas próximas produçóes.


Download – IndiviDUAL

Rock

Cidadão Instigado – Fortaleza

Por Caio Saviolo

Depois de 6 anos sem lançar nenhum álbum à frente do Cidadão Instigado, o músico Fernando Catatau se reinventou, mergulhou de cabeça em suas influências do rock e criou um belo trabalho batizado como “Fortaleza”. Devido aos diferentes universos musicais existentes no trabalho, o disco é um daqueles que dificilmente você vai escutar somente uma vez. É preciso tempo e algumas audições para digerir todo o conteúdo, desde os arranjos até as letras, tudo isso executado com extrema imponência.

A parte instrumental é a grande evolução na banda. Para quem se lembra do som dos caras no outros álbuns, caso das trilhas UHUUU! e Ciclo da Decadência, se recorda que a sonoridade vinha embalada em uma pegada mais suave e dançante. Pois bem, agora os cidadãos chegam instigados com guitarras gritando em solos que lembram bastante Pink Floyd, bagagem que pode ter sido adquirida pela banda na última turnê, onde eles incluíram no repertório algumas faixas do clássico álbum Dark Side of the Moon. Fortaleza pode ser baixada gratuitamente no site do grupo. O link está disponível no final do post, logo depois do player com o disco na íntegra!

Cidadão Instigado – Fortaleza | Download

Exposição ”Doce Voz” transparece a sinceridade e a maturidade de Guto Silva

Por Camila Yano

Enquanto continua na infinita trajetória para descobrir quem é, de onde veio e para onde vai, o artista plástico Guto Silva pendura a experiência adquirida nessa busca na exposição “Doce Voz”, que começa nesta sexta-feira, 8/5, na Atman Tattoo Studio Art, em Rio Preto. Fruto de uma elevação espiritual, da sinceridade consigo mesmo e do contato com a “mãe do astral”, Guto diz que se sente mais maduro e esclarecido, “apesar de consciente de que está engatinhando”, para mostrar seu trabalho em telas, após um hiato de oito anos, tempo em que se dedicou exclusivamente ao graffiti.

“Com 18 anos entrei na faculdade de artes plásticas, e no segundo ano conheci o graffiti. Foi quando comecei a me dedicar exclusivamente à rua. Em 2013 retornei às pinturas em tela, mas não deixei o graffiti e nem pretendo deixar!”. Após o chamado da doce voz, o artista voltou a usar o pincel e vem reunindo peças para mostrar ao público os fragmentos de esperança, vida, carinho, união, fé, harmonia e outros princípos em que ele acredita serem benéficos ao ser e às relações com os demais. Para ele, a reunião dessas partes compõe “a essência de suas obras”.

Guto sente que não foi a voz que chegou até ele, mas sim o contrário, após se preparar para esse contato. “Essa voz nos sussurra o tempo todo, mas estamos surdos para ouvir o canto dos pássaros. Esse contato foi um chamado para eu fazer o que brota no meu coração… Arte”. Como referência desse meio, muitos artistas o inspiram. “Se for para citar nomes citaria o Hyper, Enivo, Boleta, Hygraff, Nunca e meu mano de rua Raphael Gaudio”. Gaudio, ou GDO, virou parceiro de Guto na Atman, onde os dois recentemente começaram a trabalhar com outro tipo de tinta, eternizando, assim, suas obras na pele das pessoas.

Em matéria de música, o artista varia entre grooves, reggae, chill out, rap, new age e música brasileira, mas ele afirma que o que mais o eleva durante a produção são as canções sagradas e espirituais como mantras, hinos, pontos de umbanda, ícaros, cânticos indígenas etc. Entre outras fontes, ele acredita que a cidade influencia a arte de certa forma. “O que mais me inspira em Rio Preto são minhas relações, as pessoas que conheci na minha caminhada, os lugares por onde passei, e o mais importante, o que aprendi com tudo isso”.

O vernissage de Doce Voz começa às 20h na Atman Tattoo Studio Art, localizada na Rua São Domingos, 664, Jardim Alto Rio Preto. A exposição ficará disponível até o dia 19 de junho, de segunda a sexta, das 9 às 19 horas, e aos sábados, das 10 às 14 horas. Para admirar e/ou adquirir as obras é só chegar, a visitação é gratuita. Para mais informações, ligue (17) 3363-2343. Support your locals!

Guto Silva