História de Disqueiro é a nova série da LRG Brasil e do selo Somatória do Barulho

Além de resgatar verdadeiras bombas dos bailes tupiniquins na série de compactos Candonga, a Somatória do Barulho também trabalha sério a serviço da música brasileira lançando represses de discos do peso do clássico Rap é Compromisso, do Sabotage, Eis o Omê, de Noriel Vilela, e Coleção Nacional, do Instituto. Capitaneado pelo camarada YôKa – cabeça pensante por trás do excelente projeto Pássaro Imigrante -, o selo preparou em conjunto com a LRG Brasil uma série de ações bem loucas para comemorar o Record Store Day, celebrado mundialmente no dia 22 de abril.

O primeiro resultado da parceria foi uma série de vídeos onde DJ Abud, Rodrigo Brandão, DJ Formiga, Hugo Frasa, Luba Construktor e Peba Tropikal relatam boas histórias que aconteceram na hora do garimpo. A collab entre as marcas também deu origem a uma camiseta, uma ecobag para os discos e um pôster ilustrado com a arte assinada por João Lavieri. Se você quiser arrematar seu pack, é só acessar o link ao final do post e garantir vosso kit – por honestos R$79,90 – na pré-venda. Como se isso não bastasse, ainda vai rolar na próxima sexta-feira festa de lançamento da collab na Patuá Discos com direito a discotecagem do mestre DJ Nuts. Grande oportunidade para vossa senhoria escutar boa música, ficar no style e ainda aumentar a coleção de long plays por aí. Vai perder?





Somatória do Barulho | LRG Brasil | Pré-venda Kit LRG x SDB

Vídeos da semana: NxWorries, 8 Barras, Karriem Riggins, Criolo e Evidence

Hoje é feriado, mas nós seguimos trabalhando aqui no perímetro do mangue para deixar vossa senhoria por dentro de alguns bons lançamentos que apareceram pelos lados do YouTube nos últimos sete dias. A gravadora californiana Stones Throw desembarca no site com três dos nossos artistas preferidos presentes no time do selo. Anderson .Paak e Knxwledge chegam representando o projeto NxWorries no vídeo da faixa Scared Money, além de Karriem Riggins com o trabalho audiovisual da música Bahia Dreamin´. Aproveitamos a passagem pelo ensolarado estado da terra do Tio Sam para garimpar a produção Throw It All Away, do Evidence (Dilated Peoples), que saiu há mais de uma semana, mas não conseguimos atualizar o site na sexta passada.

Depois é hora de voltar até terras brasilis, mais precisamente na cidade de Ponta Grossa, no Paraná, e climatizar o ambiente com o boom bap do segundo capítulo da série 8 Barras, que traz Bianca Hoffman(Philliaz), Adriano, Guilherme Guinomon e Tomate (Forma Única). Encerramos na cadência do samba Menino Mimado, onde Criolo encosta ao lado de vários instrumentistas da música brasileira e passa a visão sobre a corja burguesa de nariz empinado que vem comandando nosso país. Se gostar das indicações, compartilhe o trabalho aí na sua área. Valeu!!!





NxWorries | Forma Única | Philliaz | Karriem Riggins | Criolo | Evidence

Assista ao vídeo da faixa O Vigia, da Três Pontos Records, de São José do Rio Preto

Camaradas de longa data aqui do Mangroovee, os amigos do selo Três Pontos Records colocaram ontem na rede o mais recente trabalho audiovisual da gravadora oriunda da cidade de Rio Preto, no interior de São Paulo. Nossos conterrâneos Coleti, Drop e Benfa mostraram que a caneta continua em dia e chegaram com muita categoria em cima do beat da faixa The Watcher, presente no clássico disco 2001, do mestrão Dr Dre. Os ex-integrantes do coletivo Reticência mandaram o papo reto sobre o atual momento do rap nacional, fazendo boas observações em relação ao novo público da cena e também sobre vários emcees que cagam pela boca. Você só precisa chegar no player abaixo para se ligar no clipe produzido pela DK Records e ver como os amigos da nossa cidade trabalham. Se vossa senhoria gostar do resultado, encoste no final do post e acesse os links para escutar o EP InTRAPdo, do Coleti, e o álbum IndiviDUAL, do Benfa & Drop.

Três Pontos Records | EP InTRAPdo | IndiviDUAL | DK Records

KL Jay troca ideia com o DJ Nato PK no novo episódio de Estamos Vivos

Depois de entrevistar Rincon Sapiência, Flow MC, Rodrigo Ogi e Shaw, o sensei Kleber Simões encostou na área do DJ Nato PK (Pau de dá em Doido) e trocou aquela boa e velha ideia sobre carreira musical, discos, equipamentos e influencias sonoras. Mais uma aula de carisma na excelente entrevista comandada pelo maestro KL Jay. Deixe o domingo muito melhor aí desse lado com o quinto episódio da série Estamos Vivos.

DJ Nato PK | Estamos Vivos | Pau de dá em Doido

Conheça melhor a arte dos toca-discos no documentário Scratch. Confira na íntegra

Se você sentiu falta das atualizações do mangue em aneiro e fevereiro, pode ficar tranquilo aí desse lado porque a correria no nosso trampo convencional diminuiu bastante e agora vamos voltar com tudo aqui no perímetro virtual. Documentário produzido no ano de 2001, o vídeo Scratch traz direção e edição assinadas por Doug Pray, que explora o mundo do DJ na cultura hip hop desde o seu nascimento. Com depoimentos de lendas do toca-discos como Q-Bert, Mix Master Mike, Craze, X-Ecutioners, Premier, Shadow, Z-Trip, Babu e Nu-Mark, o filme retrata o nascimento da técnica de turntablism inventada – há controvérsias – por Grand Wizard Theodore e traz vários outros nomes que também aperfeiçoaram bastante os scratchs. Se você costuma acessar o Mangroovee e gosta das nossas indicações, pode chegar sem medo no player abaixo porque a película vai fazer a cabeça de vossa senhoria.

Trocando ideia #14: O MC Matéria Prima lança o vídeo de Sai Na Marra

A última semana foi bastante agitada porque estávamos correndo com a produção do nosso primeiro baile na Praia da Pipa, no Rio Grande do Norte, onde estamos morando desde o início de 2016. E como já nos recuperamos da celebração, voltamos aos trabalhos virtuais para atualizar o site com a mais recente entrevista feita pelo mangue. Referência no nosso expediente desde sempre, o Matéria Prima, ex-integrante dos coletivos Quinto Andar e Subsolo, é mais uma vez a bola da vez na matriz.

Depois de lançar no mês passado o excelente disco 2 Atos, que traz produção musical na conta de Gui Amabis (Instituto), o MC mineiro abasteceu o YouTube no último dia 15 com o excelente clipe da faixa Sai Na Marra. Assinado pelo diretor Gustavo Amaral, responsável por dirigir também o clipe de Hahaha, do Rodrigo Ogi, o vídeo embala a levada de Matéria Prima com várias imagens de filmes blaxploitation.

Tínhamos trocado uma ideia com o protagonista da história em janeiro, logo depois do lançamento do álbum, mas devido à correria de ambos os lados, só conseguimos colocar agora a conversa no ar. Então chega no play para conferir a produção audiovisual e escute o álbum completo enquanto você lê a entrevista.

1 – A gente tá ligado no seu som desde a época do Quinto Andar. Você também fez parte do Subsolo, lançou EP e disco em carreira solo, além do trampo nos vocais da banda Zimun. Todos esses trabalhos sempre foram ligados ao rap. O disco 2 Atos bebe dessa fonte, mas você também sai da zona de conforto nas composições e solta a voz sobre diferente instrumentais, principalmente nas cinco primeiras faixas. Como foi o processo de criação e, na sua visão como artista, quão importante é sair dessa zona de conforto e se arriscar em outros estilos musicais?

Matéria Prima: Não estagnar. O risco se dá pela necessidade de descobrir os limites. O rap é um emaranhado de influências e a gente pode se espelhar de uma forma mais nítida em uma ou outra. O processo de criação é o reflexo disso. Esse disco foi feito em parceria com Gui Amabis na produção e participaram também Regis Damasceno, Dustan Gallas, Rica Amabis e Samuel Fraga. Um encontro muito interessante para fazer música, ainda mais vindo do rap, em que tudo é mais instintivo. Faço parte do Zimun, de Belo Horizonte, que ao longo do corre me proporcionou mais maturidade no desenvolvimento tanto da escrita quanto no canto.

2 – Na faixa 9, Sai na Marra, você cita o OGI, um dos nomes do rap nacional que também consegue transitar com naturalidade por diferentes vertentes sonoras. Na sua opinião, quais outros artistas da cena tupiniquim fazem isso de maneira bem feita?

Matéria Prima: Sombra, Criolo, Tassia Reis, Neto (Síntese), Black Alien, Lurdez da Luz, Elo da Corrente, Rodrigo Brandão, são alguns que experimentam e transitam bem entre outras vertentes sonoras.

3 – Ainda falando sobre o universo fora do rap. O que você escuta direto que os fãs das suas rimas não imaginam?

Matéria Prima: Porra, um monte de coisa. Tem fases. Tem hora que é puro rap, tem outra que é Christopher Cross, Chicano Batman, Little Beaver, Juçara Marçal, Gilberto Gil, Kiko Dinucci e por aí vai.

4 – O rap de Belo Horizonte também vem sendo muito bem representado por bancas como DV Tribo e Posse Cutz. Quem mais aí da área merece uma atenção especial?

Matéria Prima: Abu, Castilho, Well, Roger Deff, Shabê, Kainna Tawa, Tamara Franklin, Douglas Din e Kali. Somente citando alguns que estão na cabeça agora.

Matéria Prima | Zimun

Vídeos da semana: BaianaSystem, Siba, Rato & Ralph, Sono TWS e Chinese Man

Ontem foi uma data especial. Além de ser dia de Iemanjá, o saudoso mestre Chico Science completou 20 anos longe do plano terrestre e o BaianaSystem ainda deixou a quinta-feira bem melhor lançando o cabuloso vídeo do single Invisível. Aproveitamos a parada pelas férteis terras nordestinas e também selecionamos o trampo O Inimigo Dorme, do pernambucano Siba.

Embarcamos pelas estradas tupiniquins até o interior de São Paulo, na cidade de Taubaté, onde garimpamos o clipe RapFlowJazz, da dupla Rato & Ralph. Esticamos mais algumas horas de carro para estacionar em Jundiaí e sair de lá com o audiovisual do instrumental Látex, presente na beat tape Street Talk, do nosso camarada Sono TWS.

Depois de todo esse rolê, quando finalmente chegamos na firma, tinha um PAX despachado pelos franceses do projeto Chinese Man com o filme da produção Escape, que faz parte do repertório do novo release Shikantaza. É só chegar nos players e entrar no clima do final de semana.





BaianaSystem | Siba | Rato & Ralph | Sono TWS | Chinese Man

Assista Rocksteady Sessions, nova série de música jamaicana da You & Me On A Jamboree

Os camaradas do blog You & Me On A Jamboree, endereço virtual responsável por propagar com muita responsa a mensagem da música jamaicana, estreou na rede a excelente série Rocksteady Sessions. A ideia da produção é apresentar releituras feitas por artistas brasileiros para clássicos do ritmo que dominou a ilha caribenha entre os anos de 1966 e 1968. O vocalista Edu Sattah Jah, do grupo Leões de Israel, comandou o microfone nas duas primeiras edições da série, onde vossa senhoria confere as canções Love Me Forever, de Carlton And His Shoes, e Go Away Dream, de Derrick Harriot. A banda ainda é formada por Guilherme Tamer, Renato Taimes, Rafael Senegal, Daniel Charelli, Samuel Charelli e Tony D`Godoy. Além da interpretação, você também confere Jurássico e nosso camarada Greg Fernandes fazendo uma breve introdução sobre as faixas escolhidas nos episódios. É só encostar nos players abaixo para entender melhor…


You & Me On A Jamboree

Assista ao novo episódio da websérie Raciocínio Quebrado, do Parteum

Já fazia um ano que o mestre Parteum não atualizava o canal do Youtube com novos episódios da websérie Raciocínio Quebrado. Durante esse intervalo, ele subiu na rede o EP Campanha, a trilha Mídia Prata/Prata e o single 01.01.16. Porém, na semana passada recebemos uma notificação no email e demos de cara com o vigésimo capítulo da saga de vídeos comandadas pelo paulistano. O integrante do Mzuri Sana apresenta outra aula de audiovisual no mais recente trabalho, que entrevista o grafiteiro Flip, o diretor One9, do documentário Time Is Illmatic, além de imagens de sessões de skate, shows, trabalhos de design e vivências com o senhor Chico Benedito, avô do Parteum. Trabalho muito bem feito…

Raciocínio Quebrado

Trocando ideia #12: DJ Basim é o campeão do DMC Brasil 2016

Somando mais de 15 anos na caminhada como deejay, nosso camarada e conterrâneo Daniel Egide, o DJ Basim, é a essência do Hip Hop. Iniciou seus primeiros passos como dançarino da Super Sonic B. Boys, primeira crew brasileira a competir no mundial de breaking, em Hannover, na Alemanha, no ano 2000. Quase duas décadas depois desse feito histórico, o rio-pretense voltou até o velho continente para representar novamente o Brasil como um dos quatro elementos da cultura. Mas, agora, a história foi diferente e o sangue bom do Basa teve a missão de comandar os toca-discos na etapa mundial do DMC, o campeonato mais importante do mundo em matéria de turntable.

Aproveitamos a deixa e escalamos nosso irmão Plínio Rozani, diretor de toda a parte audiovisual do Mangroovee, para gravar um trampo com o campeão nacional. Então não vamos nos alongar muito porque o conteúdo abaixo explica melhor toda a história do Basim e a rotina dele até a final da competição. Se quiser conhecer mais sobre os vídeos do mangue, o link do canal fica logo no final do post. Vida longa, DJ Basim. De São José do Rio Preto para o mundo.

DJ Basim | Essa Fita Memo