Brasilidades

Leandro Joaquim – Sobre as Cores e o Nosso Tempo

Responsável por cuidar da corneta em brasas na banda de apoio de Jards Macalé e membro do projeto Abayomi Afrobeat Orchestra, o trompetista e compositor Leandro Joaquim chega avisando vossa senhoria para não confundir sedentarismo com ociosidade no disco Sobre as Cores e o Nosso Tempo. Assim como a equipe aqui do mangue, o músico também é oriundo do interior de São Paulo, mais precisamente da cidade de Ribeirão Preto.
 
Lançado pelo selo carioca Maravilha8, o álbum, que é o primeiro trampo solo da carreira do músico, apresenta o trompete e a voz de Leandro criando receitas a partir de selecionados ingredientes colhidos nas terras do jazz, funk, bossa nova, reggae e rock. Entre as 9 faixas presentes no repertório, o ska da canção Pero que si, Pero que no, a pegada afro de Em suma, na real, de fato, além do denso dub da track Daqui pra frente é só relaxo, ficaram com a preferência da firma.
 
Logo abaixo vossa senhoria pode – e deve – conferir a trilha completa e fazer o download ao final do post. BNegão, Donatinho, Marcelo Callado, Marlon Sete e grande elenco somam no recheio da bolacha. Música independente da melhor qualidade.


 
Sobre as Cores e o Nosso Tempo – Free Download
Brasilidades

Eumir Deodato & João Donato – DonatoDeodato

Marcando o encontro de duas lendas da música tupiniquim, o disco DonatoDeotado, de 1973, é outra pérola nacional lançada por um selo gringo, no caso, o estadunidense Muse Records. Assinando todas as composições do álbum, João Donato contou com a ajuda de Deodato nos arranjos e na hora de criar as faixas Batuque e Where’s J.D.?, além da colaboração do percussionista Ray Barreto na canção Whistle Stop.
 
Com o groove muito bem balanceado nos dois lados da bolacha, que trazem 3 músicas em cada parte, o disco tem a bossa nova como ponto de partida, mas, durante a jornada, trafega pelas sinuosas curvas do funk, jazz e soul music. Entre as obras primas lapidadas no trampo, nossas preferidas são as tracks Nightripper, Whistle Stop e Batuque. Encontramos todas as produções soltas no YouTube, como vossa senhoria pode – e deve – conferir logo abaixo. Então dá o play, filho(a)…

donato
 

Rock

Nação Zumbi – Rádio S.amb.a

Não podendo mais contar com o veloz vocal de Chico Science, que chegava a soar como uma embolada dos repentistas nordestinos, os pernambucanos da Nação Zumbi tiveram a ideia de colocar Jorge Du Peixe, que até então ficava na função de segurar o baque em uma das alfaias da banda, para soltar sua densa voz nos microfones da Nação.
 
Com Du Peixe na linha de frente, os caras lançaram em 2000 o primeiro trabalho pós Chico, o álbum Rádio S.amb.a (Serviço Ambulante de Afrociberdelia). Recheado com músicas como O Carimbó – Côco Assassins, Remédios, Quando a Maré Encher e até mesmo uma releitura da canção Jornal da Morte, do sambista Roberto Silva, o disco já apontava os novos rumos que iriam nortear o som da NZ. O groove do mangue!

Nação Zumbi - 2000 - Radio Samba
 


Brasilidades

Rubinho & Mauro Assumpção – Perfeitamente, Justamente Quando Cheguei

Reforçando há muito tempo que quem não olha no olho não está legal, a dupla carioca Rubinho & Mauro Assumpção apareceu, no distante ano de 1972, acompanhada de sua banda e colocou no mercado a bolacha Perfeitamente, Justamente Quando Cheguei. Único disco da curta carreira dos caras, o trampo, que foi lançado pela infalível gavadora Tapecar, vem com 13 músicas e traz uma mistura sonora feita com muito samba rock, folk, rock e outras brisas. O fino do fino!

rubinho e mauro assumpcao [1972] perfeitamente, justamente quando cheguei
 


Rap

Elo da Corrente – Cruz

Quando fizemos um post por aqui com os singles Cruz e Sobre o Infinito e Outras Coisas, a gente já sabia que o terceiro disco da carreira do Elo da Corrente seria uma prova de como o trio formado por Caio, Pitzan e DJ PG amadureceu em relação aos trabalhos anteriores. E ontem, depois do lançamento do álbum Cruz, nossa expectativa foi confirmada.
 
Mostrando o quanto é necessário entender e pesquisar o passado da música brasileira antes de conceber um trampo com essa qualidade, o Elo mergulhou na sonoridade afro-brasileira das décadas de 40 a 70 e convidou nomes como a cantora Célia, Danilo Caymmi, Márcia Castro e o parceiro de longa data Rodrigo Brandão. Além disso, o grupo paulistano também chamou Arthur Verocai, M. Takara, Lúcio Maia, Thiago França, Gustavo Da Lua, Marcelo Cabral, Thiago Frúgoli, entre outros.
 
Então fortaleça quem faz música independente da melhor qualidade e escute na íntegra o mais recente registro do Elo da Corrente, presente no player abaixo. Se curtir, garanta sua cópia em formato vinil ou digital, como vossa senhoria preferir. Música capaz após algumas estações.


 

Elo da Corrente – Site Oficial

Brasilidades

Sonzeira x Gilles Peterson Essential Mix

O britânico bom de ouvido Gilles Peterson lançou mês passado a coletânea Sonzeira, onde ele reuniu artistas brasileiros como Seu Jorge, Elza Zoares, Kassin e Marcos Valle. E com a chegada do festival London’s Notting Hill Carnival, que acontece no próximo final de semana, o cara colocou o cerebelo para trabalhar e soltou uma seleção recheada com músicas presentes no álbum e outras que costumam rolar no evento da Terra da Rainha. Célia, Arthur Verocai, Jay-Z, Roots Manuva, Dom Salvador, Pedro Santos, Paul McCartney, DJ Nuts, Mental Abstrato, Caetano Veloso, Pharcyde e Karol Conka são alguns dos nomes que se misturam com aquelas batucadas que deixam os gringos desnorteados. Tudo muito bem temperado. Experimenta aí…

gilles
 

Gilles Peterson – Site Oficial

Brasilidades

O Som do Vinil – Arthur Verocai (1972)

Lançado em 1972, o disco de estreia do maestro Arthur Verocai foi ignorado pela indústria fonográfica nacional daquela época, mas, com o passar do tempo, o registro transformou-se em uma das bolachas mais raras e cobiçadas pelas novas gerações de produtores ligados ao rap. O programa O Som do Vinil, do Canal Brasil, entrevista nomes como Kassin, Paulinho Tapajós, além do próprio Arthur, e explica toda a produção de um dos maiores clássicos da história da música brasileira. O item em questão pode ser encontrado no Ebay pela salgada quantia de R$5.600. Então aperta o play abaixo porque é de graça.

DJ Sheep’s Winter Bluntz – Blunt Two

Segunda edição da série criada pelo DJ Sheep, a produção Blunt Two respeita os mandamentos do turntablism e apresenta a vasta pesquisa feita pelo cara, que traz música australiana, japonesa, brasilidades, samples, funk, soul, rap e beat breaks. Natural de Brisbane, capital do estado de Queensland, na Austrália, o cara, que levou por três vezes o troféu do DMC daquela região, criou a trilha abaixo em uma única gravação, sem editar nada. Chegue mais no player abaixo para viajar pela atmosfera que o cara criou.

sheep
 

 

DJ Sheep – Facebook