O DJ Mok Groove embala a sessão somente com compactos brasileiros. Aperte o play

Residente do baile Marumba, na cidade de Santos, o DJ Mok Groove girou na trilha Musica Brasileira em Compactos disquinhos de Zimbo Trio, Maria Creusa, Trio Esperança, Jorge Ben, Gilberto Gil, Wilson Simonal e vários outros nomes que costumam ecoar na festa da baixada santista. O resultado final da excelente pesquisa tupiniquim realizada pelo cara você confere logo abaixo. Se também gostar do trampo, escute as outras trilhas no SoundCloud dele porque tem bastante coisa boa.

DJ Mok Groove

Gilles Peterson homenageou o mestre Phife Dawg. Ouça aqui

Continuando com as merecidas homenagens para o mestre Phife Dawg, passamos até aqui antes que o domingo acabe para deixar vossa senhoria na companhia sonora do tributo feito por Gilles Peterson para o pequeno gigante do A Tribe Called Quest. Mixada pelo DJ Will LV, a produção abaixo traz 22 minutos pautados somente com clássicos versos do The 5 Foot Assassin. Oh My God, Award Tour, Check The Rime, Buggin’ Out, Can i Kick It e por aí segue. Muito obrigado por tudo, Phife. Descanse em paz!

Gilles Peterson

O selectah StranJah apresenta o creme do dancehall na mixtape The Arrival Of Power House.

Representando equipes de som de respeito especializadas em música jamaicana, o selectah StranJah foi o convidado da vez no projeto Na Manteiga Rádio, que passou no mangue com nomes como Abud e Jurássico. O integrante das posses Fresh Dancehall e Reggaematic selecionou e girou somente faixas assinadas pelo produtor George Phang, do selo Power House, entre os anos de 1984 e 1987. Disponível para download ao final do post, a mixtape The Arrival Of Power House embala a sessão com Lone Ranger, Tenor Saw, Peter Metro, Yellowman, Sugar Minott e vários outros ninjas. Aperta o play, gente boa.


 

Download | StranJah | Na Manteiga Rádio

Mayer Hawthorne girou o creme do gangsta rap na mixtape Bookie Bruschetta Beats.

Sempre presente com seus sons aqui no nosso endereço virtual, o cantor Mayer Hawthorne chega de outra maneira no Mangroovee nesta quarta-feira. No lugar das músicas feitas por ele, agora é o cara quem seleciona faixas de diferentes artistas na mixtape Bookie Bruschetta Beats, que traz o creme do gangsta rap mixado por uma das cabeças do duo Tuxedo. Chega mais no player abaixo e fique numa boa com nomes como Nate Dogg, N.W.A., Snoop Dog, e Roy Ayers fazendo a trilha. Biatch!


 

Mayer Hawthorne

Escute e faça o download da mixtape Just to Let Her Know, do DJ Jared Jackson.

Residente da cidade de Corona, na California, nos EUA, o DJ Jared Jackson climatiza a sessão da tarde do mangue com a mixtape Just to Let Her Know. Colando aqui na firma pela primeira vez, o mano manda ver nos toca-discos e gira nos pratos nomes como Black Star, Jaylib, Commom, Anderson .Paak, Gravez, Born Jamericans, Slum Village, Tupac, Boogiemonsters, entre outros. Se gostar do trampo, é só fazer o download dentro do player.

Gravez – Be My Shawty
Anderson .Paak – Room in Here (feat. The Game & Sonyae Elise)
Black Star – Brown Skin Lady
Boogiemonsters – Honeydips in Gotham (Original Mix)
Elhae – Halfway Love
Born Jamericans – Venus
Mary J. Blige – Love No Limit (Bad Boy Remix)
Lupe Fiasco – Paris, Tokyo
Tupac – Temptations
C.L. Smooth, Denosh, and Pete Rock – It’s a Love Thing
Pacific Division – Gorgeous
Dwele – I’m Cheatin’
Erro – Rock Wit U
Jaylib – Starz
Born Jamericans – Send My Love
Common – Come Close
Slum Village – Climax (Girl Shit)

Ouça a produção In Memory of Maurice White Mix, homenagem de Gilles Peterson a Maurice White (EWF).

O britânico Gilles Peterson, que passou recentemente aqui no mangue com a produção Rainy in São Paulo Mix, volta a climatizar o ambiente no nosso endereço virtual com a homenagem feita por ele para mista Maurice White. Infelizmente, a cabeça pensante do lendário grupo Earth, Wind and Fire, partiu deste plano no último dia 4. Mas como legado deixado por Maurice continuará ecoando para sempre mundo afora, Gilles embalou mais de duas horas com sons produzidos pelo homenageado e colocou o resultado no player In Memory of Maurice White Mix. Você pode escutar o tributo e conferir as faixas logo abaixo. Vai que vai, gente boa!

1 – EWF – Energy (The Need of Love 1971)
2 – EWF – Faces (Faces 1980)
3 – The Salty Peppers – Open Your Heart
4 – The Dells – A Summer Place (Love is Blue 1969)
5 – Ramsey Lewis – Eternal Journey (Maiden Voyage 1968)
6 – Come on Feet segments (Sweet Sweet Badass Song)
7 – EWF – Moment of Truth (Earth Wind & Fire 1971)
8 – Ramsey Lewis – Uhuru (Another Voyage 1969)
9 – Billy Stewart – Summertime (1966)
10 – Fontella Bass – Rescue Me (The New look 1966)
11 – Sonny Cox – The Wailer (The Wailer 1966)
12 – Ramsey Lewis – Blue Bongo (Goin’Latin 1966)
13 – The Pharaohs – Damballa (Awakening 1972)
14 – EWF – Beauty (The Need of Love 1971)
15 – EWF – Mom (Last Days and Time 1979)
16 – Minnie Ripperton – Memory Band (Janus 1974)
17 – EWF – Reasons (That’s the way of the World 1975)
18 – EWF – Earth, Wind & Fire (Spirit 1976)
19 – EWF – Wanna Be with You ( Raise 1981)
20 – EWF – You can’t Hide Love (Gratitude 1975)
21 – EWF – Step’s Tube ( Open your Eyes 1974)
22 – EWF – Caribou (Open your Eyes 1974)
23 – EWF – See The Light (That’s the way of the world 1975)
24 – Ramsey Lewis – Slick (Salongo 1976)
25 – EWF – Runnin’ (All n All 1977)
26 – EWF – Let Your Feelings Show (I Am 1979)
27 – EWF – And Love Goes On (Faces 1980)
28 – The Emotions – Best of My Love (Rejoices 1977)
29 – Ramsey Lewis – Wade on the Water (Wade in the Water 1966)
30 – Marlena Shaw – Wade in the Water (Chess 45 1966)
31 – EWF – Shining Star (Thats the way of the world 1975)
32 – Deniece Williams – Free (This Is Niecey 1976)
33 – EWF – Dreams (Open Your Eyes 1974)
34 – EWF – Zanzibar (Head to the Sky 1973)
35 – EWF – Fantasy (All n All 1977)
36 – Ramsey Lewis – Sun Goddess (1974)
37 – EWF – Brazilian Rhyme (unreleased version 1977)
38 – EWF – Intro (Gratitude 1975)
39 – The Jazzmen – Max Waltz (Collegiate Jazz Festival 1963)

DJ Abud – Boogie, Balanço e Charm Mixtape

Um dos membros da posse Beatwise Recordings, o DJ e beatmaker Abud fez a boa na última sexta-feira com o novo play assinado por ele. Como o próprio nome já da a letra, a mixtape Boogie, Balanço e Charm transportará vossa senhoria para uma pista de dança embalada com muito swing nos 30 minutos comandados pelo paulistano. Aumente o volume dos falantes por aí e chega no player pra entender melhor sobre o assunto.

Trocando ideia #3: Zudizilla e o lançamento do disco Faça a Coisa Certa

Para deixar vossa senhoria por dentro das novas atividades do mangue, informamos por meio deste que toda segunda-feira o site será atualizado com uma entrevista e o lançamento sonoro em questão. Iniciamos com a carioca Luana Karoo, mas você também pode conferir na aba Produções outras ideias que trocamos com nomes como Rodrigo Brandão, SonoTWS, Ramiro Mart, Thiago Frúgoli, entre outros.

Hoje nos passamos a bola para o MC Zudizilla, de Pelotas, no Rio Grande do Sul, que acabou de colocar na rede o excelente disco Faça a Coisa Certa. Lançado aos 45 do segundo tempo no ano passado, mais precisamente no dia 28/12, o trabalho vem embalado com 18 faixas bastante influenciadas pela estética do rap feito nos anos 90, época de ouro do ritmo e poesia. Rimas cruas, interlúdios, boom bap em todas as bases e o DJ Micha quebrando nos riscos e nas colagens.

Falando em deejay, foi nosso camarada de longa data DJ Magreen, que também faz a cultura acontecer no extremo sul do Brasil, quem apresentou o som do Zud pra gente. Fizemos a conexão São José do Rio Preto – Pelotas e conversamos com o mano sobre vários assuntos, mas a pauta principal seguiu sendo música. Se quiser dichavar o disco completo e a conversa inteira, só chegar ali embaixo. Muito trampo louco saindo de todos os cantos do país. Aperta o play, gente boa.

1 – Salve, Zud! O disco Faça a Coisa Certa chegou pesado com 18 faixas. Não é sempre que aparece um lançamento com esse número de músicas. Quanto tempo você demorou para elaborar o trampo e como foi o processo de criação? O que te inspirou?

Zudizilla: Demorou pouco mais de um ano. Foi embaçado entender exatamente como deveria cantar neste trampo, além de saber exatamente quem eu queria representar e de que maneira deveria fazer isso, tá ligado? Depois do lançamento da minha mixtape LUZ, de 2013, a rapaziada esperava algo menos sujo, mas não tem como fugir da minha essência. Me desconectei da grande rede durante esse período, sem contato muito profundo com a internet para entender meus reais motivos. Obras de gênios como Spike Lee, Lima Barreto, Jorge Amado, Alvares de Azevedo, Voltaire e Maquiavel me ajudaram muito nessa caminhada.

2 – O disco tem uma estética bem anos 90. Vários boom baps, rimas cruas e risco pra tudo que é lado. Quais são suas referências em matéria de rap?

Zudizilla: Eu vim do hardcore. Então quando tava rolando a Golden Era, escutava Black Flag, Bad Brains, Minor Threat e Suicidal. Conheci a cultura Hip-Hop através do graffiti e foi isso que me trouxe consciência coletiva, além de uma visão mais apurada para as relações sociais. Na época em que migrei pro rap, minha maior fonte era o Pok Sombra, que me mostrou Commom, Mos Def, Afu Ra, Lost Boyz, Wu Tang, Little Brother, Slum Village, Dilla, MadLib, MF Doom e por aí vai. Quinto Andar, Elo da Corrente, Contra Fluxo, Dominantes, GNZ, Matéria Prima e Guria Mangani são algumas das grandes referências nacionais.

3 – Entre todas as faixas, somente o som O Que Eu Sei, O Que Eu Vi tem participações de outros MC´s, no caso, Pok Sombra e H. Fuentes. Como aconteceu esse encontro?

Zudizilla: O Pok Sombra é meu parceiro de milianos. E escuto o som do Fuentes há muito tempo. Nós temos uma visão muito parecida em relação ao rap e acredito que a lei da atração funcionou nesse caso. Mas fiquem atentos no primeiro semestre do ano porque esse disco ainda vai trazer algumas surpresas. É só esperar pra conferir.

4 – Você representa a cidade de Pelotas. Como funciona a cena ai no extremo sul do Brasil? Quais nomes podemos ficar de olho?

Zudizilla:Aqui é um dos lugares mais doidos do mundo. Além do Pok Sombra, que tá chegando com um trabalho lindo, o Guido também liberou no final do ano passado um trampo pesado. Fiquem de olho em nomes como o Fill, Johnguen, Bova, “Guigo” Martins, Dime, Mano Rick, Outro Nível e o Zak Beats.

5 – Bem louca a ideia, mano. E quais são os planos a partir de agora?

Zudizilla: Ler bastante, fumar alguns, viajar Brasil afora e viver tudo aquilo que planejei com esse disco. Também tem a collab com a Ru, responsável pela identidade visual do trabalho, além de um projeto para prensar o Faça a Coisa Certa em vinil. Depois de fazer tudo isso, vou me sentir pleno e satisfeito para dar meus próximos passos.

Zudizilla

Na Manteiga Rádio – Jurássico (Y&ME)

Nós já atualizamos o Mangroovee com uma das edições do projeto Na Manteiga Rádio, que convida vários DJ´s e seletores para fazerem a trilha no QG deles. Na ocasião, escolhemos os beats disparados pelo Abud, da Beatwise Recordings, para climatizar o ambiente aqui no mangue. Quem chega agora é o Jurássico, colecionador de discos jamaicanos e integrante da crew You & Me On A Jamboree. O paulistano girou os compactos e embalou uma hora e meia com o creme do rocksteady produzido na ilha caribenha. Caso vossa senhoria queira deixar o início do final de semana muito mais leve por aí, cola na grade e aperte o play abaixo, gente boa. Jamaica’s finest!

MC Menestrel & DJ Sleep – Mixtape Nave Mãe

Assim como Síntese, Tássia Reis, Inglês e outros nomes, a mixtape Nave Mãe é mais um trabalho bem louco que chega com o selo de remetente da região do Vale do Paraíba, no interior de São Paulo. A dupla responsável por colocar a produção em questão nas ruas é formada pelo MC Menestrel, que provavelmente você conheça como MC Ralph, e o DJ Sleep, do Haikaiss. Seguindo a linha da postagem de ontem, onde o Dām-Funk apareceu com o creme das pistas no player, a fita mixada também foi outra pedrada concebida na última semana de 2015.

A trilha embala 23 minutos com vários riscos e colagens nas nove faixas mixadas milimetricamente pelo deejay, além de várias fitas e vários flows passados nas linhas que citam nomes como Malcom X, Mano Brown, Freddie Gibs, Miles Davis e Black Alien. A receita ainda traz beats autorais e outros imortalizados por Madlib, Pharcyde, Nas e Damian Marley. Chega no play porque os 23 minutos vão passar voando aí desse lado. Download gratuito ao final do post. Aproveita!